???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.tede2.ufrpe.br:8080/tede2/handle/tede2/6587
Tipo do documento: Tese
Título: Variabilidade de Acidovorax avenae subsp. citrulli e epidemiologia da mancha-aquosa do melão
Autor: SOUZA, Elineide Barbosa de 
Primeiro orientador: MARIANO, Rosa de Lima Ramos
Primeiro coorientador: MICHEREFF, Sami Jorge
Segundo coorientador: OLIVEIRA, Sônia Maria Alves de
Primeiro membro da banca: LOPES, Daniela Biaggioni
Segundo membro da banca: PEDROSA, Elvira Maria Régis
Terceiro membro da banca: RESENDE, Luciane Vilela
Quarto membro da banca: MENEZES, Maria
Quinto membro da banca: SALES JÚNIOR, Rui
Resumo: Foi estudada a variabilidade de 20 isolados de Acidovorax avenae subsp. citrulli quanto aos componentes da mancha-aquosa do melão e reação de hipersensibilidade, e analisada a transmissão da bactéria pelas sementes dos frutos inoculados. Foi também avaliada a influência da duração (0, 6, 24 e 48 horas) e início do período de molhamento foliar (0, 6, 24 e 48 horas após a inoculação), bem como da concentração de inóculo de A. avenae subsp. citrulli (3,4 x 101 a 3,4 x 107 UFC mL-1) na severidade da mancha-aquosa em meloeiro. A influência da temperatura (15, 20, 25, 30, 35 e 40° C), da umidade (0 e 6 horas de câmara úmida), da concentração de inóculo ( 3,4 x 101 a 3,4 x 107 UFC mL-1) e da idade do fruto (40, 50, 60 e 70 dias) no desenvolvimento da mancha-aquosa em melão, foram ainda verificadas. Sementes, plantas e frutos foram inoculados pelos métodos de infiltração a vácuo, pulverização e injeção subepidérmica, respectivamente. Plântulas e plantas foram avaliadas quanto ao período de incubação,índice de doença, área abaixo da curva do progresso da doença e taxa de progresso da doença, e os frutos, quanto ao período de incubação, diâmetro da lesão externa e profundidade da lesão. Os dados obtidos foram submetidos a testes de comparação de médias, testes de agrupamento ou análises de regressão. A análise da distância Euclidiana por ligações simples, confirmou a variabilidade entre os isolados de A. avenae subsp. citrulli, permitindo a separação destes em quatro grupos de similaridade. A transmissão da bactéria por sementes variou de 30 a 64 % e todos os isolados induziram reação de hipersensibilidade em folhas de fumo e tomate. As equações de regressão para as variáveis analisadas em meloeiros foram melhor ajustadas pelos modelos quadrático ou logarítmico. O período de incubação variou de 1,3 a 2,7 dias, emaior nas plantas sem molhamento foliar, contudo o índice de doença e a área abaixo da curva de progresso da doença aumentaram com o incremento da duração do molhamento foliar. O início do período de molhamento foliar às 48 horas após a inoculação elevou o período de incubação e a taxa de progresso da doença em relação aos demais períodos. O incremento da concentração de inóculo elevou a taxa de progresso da doença, índice de doença e área abaixo da curva de progresso da doença, os quais atingiram valores máximos de 4,4 unidades de infecção/dia, 73,7 % e 18,9, respectivamente, na concentração 3,4 x 107 UFC mL-1. A temperatura e umidade influenciaram significativamente a severidade da mancha-aquosa nos frutos, embora o período de incubação não tenha sido afetado. As maiores lesões externas foram observadas em frutos incubados a 35 e 30 ° C sem câmara úmida, e a 30° C em câmaraúmida por seis horas. Com relação à profundidade, as lesões nos frutos incubados sem câmara úmida foram maiores às temperaturas de 25 e 30° C. Em câmara úmida, as lesões a 30° C foram maiores que as demais. Não foi observado desenvolvimento da mancha-aquosa em frutos incubados a 15 e 20° C. A umidade influenciou significativamente (P=0,05) o diâmetro e profundidade da lesão, exceto às temperaturas de 35 e 25° C, respectivamente. O diâmetro e profundidade das lesões aumentaram com a elevação da concentração de inóculo e foram reduzidos com o aumento da idade do fruto. Na concentração 3,4 x 101 UFC mL-1 não foi observada a presença de sintomas da doença na casca e na polp
Abstract: The variability of 20 Acidovorax avenae subsp. citrulli isolates in relation to melon fruit blotch components, hypersensitive reaction, and the bacterial transmission by seeds from inoculated fruits were studied. The influence of duration (0, 6, 24 and 48 h), the onset of leaf wetness period (0, 6, 24 and 48 h after inoculation), and inoculum concentration of A. avenae subsp. citrulli (3.4 x 101 to 3.4 x 107 CFU mL-1) on severity of fruit blotch in melon plants were also evaluated. The effects of temperature (15, 20, 25, 30, 35 and 40° C), humidity (0 and 6 h of moist chamber), inoculum concentration (3.4 x 101 to 3.4 x 107 CFU mL-1) and fruit age (40, 50, 60 and 70 days) on the development of melon fruit blotch were also verified. Seeds, plants and fruits were inoculated through vacuum infiltration, atomization and sub-epidermal injection, respectively. Seedlings and plants were assessed in relation to incubation period, diseaseindex, area under disease progress curve and disease progress rate; incubation period, diameter of external lesion and lesion depth were assessed on the fruits. The data were submitted to mean comparison tests, clustering tests or regression analysis. The Euclidian distance–single linkage confirmed the variability among the A. avenae subsp. citrulli strains allowing their separation in four similarity groups. Seed transmission ranged from 30 to 64 % and all strains induced hypersensitive reaction on tobacco and tomato leaves. The regression equations for the analyzed variables in melon plants were better adjusted by the quadratic or logarithmic models. The incubation period ranged from 1.3 to 2.7 days and was higher in plants without leaf wetness, although the disease index and area under disease progress curve increased as the duration of leaf wetness increased. The beginning of the leaf wetness period at 48 h after inoculation elevatedthe incubation period and disease progress rate in relation to the other periods. The disease progress rate, disease index and area under disease progress curve increased as the inoculum concentration increases, reaching maximum values of 4.4 infection units/day, 73.7 % and 18.9 at 3.4 x 107 UFC mL-1, respectively, at 3.4 x 101 CFU mL-1. The temperature and humidity influenced significantly (P=0,05) the severity of melon fruit blotch, however, the incubation period was not affected. The larger external lesions were observed in the fruits incubated at 35 and 30° C without moist chamber, and at 30° C in moist chamber for six h. In relation to lesion depth, those lesions in fruits incubated without moist chamber were deeper at 25 and 30° C. However, with moist chamber the lesions at 30° C were deeper than the others. No disease symptoms were observed onfruits incubated at 15 and 20° C. The humidity significantly (P=0,05) influenced the development of external lesions and lesions depth at 35 and 25° C, respectively. The diameter and depth of lesions increased as the inoculum concentration was higher and were reduced as the fruit age increased. No external or internal lesions were detected on fruits with 60 and 70 days inoculated with the pathogen at 3.4 x 101 CFU mL-1.
Palavras-chave: Bactéria
Epidemiologia
Melão
Mancha-aquosa
Cucumis melo
Acidovorax avenae subsp. citrulli
Fruit blotch
Área(s) do CNPq: FITOSSANIDADE::FITOPATOLOGIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal Rural de Pernambuco
Sigla da instituição: UFRPE
Departamento: Departamento de Agronomia
Programa: Programa de Pós-Graduação em Fitopatologia
Citação: SOUZA, Elineide Barbosa de. Variabilidade de Acidovorax avenae subsp. citrulli e epidemiologia da mancha-aquosa do melão. 2002. 105 f. Tese (Programa de Pós-Graduação em Fitopatologia) - Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.tede2.ufrpe.br:8080/tede2/handle/tede2/6587
Data de defesa: 28-Jun-2002
Appears in Collections:Doutorado em Fitopatologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Elineide Barbosa de Souza.pdfDocumento principal381,57 kBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.