???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.tede2.ufrpe.br:8080/tede2/handle/tede2/6463
Tipo do documento: Dissertação
Título: Murcha-de-fusário do tomateiro: levantamento da intensidade,amostragem,arranjo espacial,variabilidade de isolados de Fusarium oxysporum f.sp. lycopersici e seleção de cultivares resistentes
Autor: ANDRADE, Domingos Eduardo Guimarães Tavares de 
Primeiro orientador: MICHEREFF, Sami Jorge
Primeiro coorientador: MENEZES, Maria
Segundo coorientador: CÔELHO, Rildo Sartori Barbosa
Primeiro membro da banca: ARAÚJO, Egberto
Segundo membro da banca: MATOS, Aristóteles Pires de
Terceiro membro da banca: COELHO NETTO, Rosalee Albuquerque
Resumo: A cultura do tomateiro estaqueado apresenta expressiva importância na região Agreste do Estado de Pernambuco tendo, contudo, sua produção é limitada devido à ocorrência de murcha-de-fusário, causada por Fusarium oxysporum f.sp. lycopersici. Este estudo objetivou realizar o levantamento da intensidade da murcha-de-fusário em áreas de plantio no município de Camocim de São Félix, Agreste do Estado de Pernambuco, determinar o tamanho ideal da amostra para quantificação da doença, analisar o arranjo espacial da doença no campo, caracterizar a variabilidade de populações de F. oxysporum f.sp. lycopersici e selecionar cultivares de tomateiro resistentes às raças 1 e 2 do patógeno. No levantamento da intensidade da murcha-de-fusário em 50 áreas de plantio, foi constatada uma alta prevalência da doença (72%), com incidência média de 17,15%. Utilizando os dados de incidência de 36 áreas como amostragens-piloto o tamanho de amostras para quantificação da doença foi determinado com base no coeficiente de variação da média. O número de linhas por área, a ser amostrado, reduziu com a elevação da incidência da doença e do erro aceitável. Considerando o nível de erro de 10%, a amostragem em cada área de 130 linhas com 12 plantas/linha é apropriada para quantificar a incidência da doença em levantamentos futuros. O arranjo espacial da doença foi investigado em 11 áreas de plantio, numa parcela de 480 plantas/área, utilizando-se as análises de mapeamento, “ordinary runs”,ajuste à distribuição beta-binomial e autocorrrelação espacial. Em sete áreas ficou evidenciada a agregação de plantas doentes, enquanto que em quatro, ficou evidente o arranjo aleatório, indicando não haver um padrão único de arranjo espacial da doença no campo. Na caracterização da variabilidade de F. oxysporum f.sp. lycopersici, 36 isolados foram avaliados em relação a componentes epidemiológicos, a raças e a padrões isoenzimáticos. Com base na incidência da doença foi possível a separação dos isolados em dois grupos de similaridade, elevando-se para três quando consideradas a área abaixo da curva de progresso da doença e a taxa de progresso. Apenas um isolado foi caracterizado como pertencente à raça 1, enquanto os demais foram pertencentes à raça 2, indicando uma pequena variabilidade na população quanto à raça. O padrão isoenzimático possibilitou a separação dos isolados em seis grupos de similaridade para esterase e oito grupos para fosfatase. Não foram constatadas correlações significativas entre os valores da mobilidade relativa para as isoenzimas e os obtidos nos componentes epidemiológicos. Na avaliação da resistência ao patógeno, foi analisado o progresso temporal da murcha-de-fusário em 25 cultivares de tomateiro inoculadas com isolados das raças 1 e 2. Todas as cultivares apresentaram plantas com sintomas da doença, quando inoculadas com os isolados da raça 2, enquanto apenas as cultivares Santa Clara I-5300, Jumbo AG-592, Barão Vermelho AG-591, Híbrido Débora Plus AF-799, H. Débora e Viradoro evidenciaram suscetibilidade ao isolado da raça 1. As cultivares H. Seculus e Rio Grande destacaram-se das demais ao propiciarem os maiores períodos de incubação e os menores valores de incidência, de taxa de progresso e de área abaixo da curva de progresso da doença, indicando o potencial para utilização em programas de manejo integrado da murcha-de-fusário no Agreste de Pernambuco.
Abstract: Fresh tomato is very important in the Agreste Region of Pernambuco State, Brazil. However its production is impaired by the occurrence of Fusarium wilt caused by Fusarium oxysporum f.sp. lycopersyci. This study aimed to survey the disease intensity in planting areas of Camocim de São Félix county, Agreste of Pernambuco and to determine the ideal sample size for disease assessment, to analyze the disease spatial pattern in field, to characterize the variability of Fusarium oxysporum f.sp. lycopersyci populations and to select the resistance of tomato cultivars to races 1 and 2 of the pathogen. The disease survey in 50 planting areas showed high disease prevalence (72%) and average incidence of 17,15%. Using the incidence data from 36 areas as pilot-samples, the sample size for disease assessment was determined accordimg to the mean variability coefficient. The number of rows to be sampled was inversely related to disease incidence and acceptable error. To quantify the disease in future surveys, considering 10% error, each area should have 130rows and 12 plants/row sampled. The disease spatial pattern was studied in 11 planting areas in plots with 480 plants, using mapping, ordinary runs, fitting of β-binomial distribution and spatial autocorrelation analyses. Seven areas showed agregation of diseased plants and four areas presented the randomized pattern suggesting that there is not a single spatial pattern of the diasease in field.Thirty-six pathogen isolates were characterized in relation to epidemiological components, races and isoenzymatic patterns. The disease incidence separated isolates into two similarity groups but based upon the area under the disease progress curve (AUPDC) and progress rate there was three groups. Only one isolate belonged to race 1 while all the others were race 2 suggesting a small population variability regarding to races. The relative mobility of bands indicated six similarity groups for esterases and eight groups for fosfatase. There were no significant correlations among the relative mobility values for isozymes and the values for epidemiological components. In the resistance assay the disease temporal progress was analysed in 25 tomato cultivars inoculated with isolates of races 1 and 2. Race 2 isolates induced disease symptoms in all cultivars but race 1 isolates only induced symptoms in cultivars Santa clara I-5300, Jumbo AG-592, Barão Vermelho AG-591, Débora Plus AF-799, Débora and Viradouro. The cultivars Seculus and Rio Grande showedlonger incubation periods and smaller incidence values, progress rate and AUPDC, suggesting their use in programs of Fusarium wilt integrated management in Agreste of Pernambuco.
Palavras-chave: Murcha-de-fusário
Fusarium oxysporum
Tomateiro
Área(s) do CNPq: FITOSSANIDADE::FITOPATOLOGIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal Rural de Pernambuco
Sigla da instituição: UFRPE
Departamento: Departamento de Agronomia
Programa: Programa de Pós-Graduação em Fitopatologia
Citação: ANDRADE, Domingos Eduardo Guimarães Tavares de. Murcha-de-fusário do tomateiro: levantamento da intensidade, amostragem, arranjo espacial, variabilidade de isolados de Fusarium oxysporum f.sp. lycopersici e seleção de cultivares resistentes. 1999. 113 f. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Fitopatologia) - Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.tede2.ufrpe.br:8080/tede2/handle/tede2/6463
Data de defesa: 24-Feb-1999
Appears in Collections:Mestrado em Fitopatologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Domingos Eduardo Guimaraes Tavares de Andrade.pdfDocumento principal2,69 MBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.