???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.tede2.ufrpe.br:8080/tede2/handle/tede2/6182
Tipo do documento: Tese
Título: Crescimento e sobrevivência larval do marisco Anomalocardia brasiliana (Gmelin, 1791) alimentado com diferentes dietas algais
Autor: OLIVEIRA, Isabela Bacalhau de 
Primeiro orientador: GÁLVEZ, Alfredo Olivera
Primeiro membro da banca: SANTOS, Lilia Pereira de Souza
Segundo membro da banca: OLIVEIRA, Paulo Guilherme Vasconcelos de
Terceiro membro da banca: OLIVEIRA FILHO, Paulo Roberto Campagnoli de
Quarto membro da banca: BARROS, José Carlos Nascimento de
Resumo: O presente estudo descreve a larvicultura do molusco bivalve Anomalocardia brasiliana, com avaliação de diferentes dietas e densidade de estocagem. As dietas avaliadas foram: microalgas Isochrisys galbana (Ig), Phaeodactylum tricornutum (Phaeo), Chaetoceros calcitrans (Cca), Pavlova lutheri (Pl) e as combinações (Ig + Cca), (Ig + Phaeo), (Cca + Phaeo) e (Cca + Pl), totalizando oito dietas fornecidas por um período de 15 dias de cultivo. A microalga I. galbana fornecida isoladamente, apresentou menor sobrevivência e crescimento em relação as demais dietas testadas. O uso de C. calcitrans e P. tricornutum isoladamente ou combinada as outras microalgas apresentou melhores valores de sobrevivência e crescimento. A dieta combinada Cca + Pl, obteve maior crescimento e sobrevivência nas larvas de A. brasiliana (261,67 ± 9,64 μm e 31,50 ± 0,87 %). Todas as dietas avaliadas obtiveram resultados satisfatórios quanto ao crescimento e sobrevivência de larvas de A. brasilaina, exceto a dieta I. galbana quando fornecida isoladamente. As densidades de estocagem avaliadas nas pós-larvas de Anomalocardia brasiliana foi de 40, 80 e 160 ind.cm-2 em um período experimental de 28 dias. A densidade de 40 ind.cm-2 apresentou a maior taxa de crescimento específico diária. As maiores sobrevivências das pós-larvas foram observadas nas menores densidades 53,24 ± 4,60 % (40 ind.cm-2) e 52,95 ± 3,32 % (80 ind.cm-2), diferindo significativamente da maior densidade de estocagem com 31,54 ± 0,70 %. Assim pôde-se concluir que podemos produzir larvas de A. brasiliana utilizando qualquer uma das dietas avaliadas, exceto I. galbana se fornecida isoladamente. No cultivo de pós-larvas desta mesma espécie devemos realizar o manejo na densidade de estocagem no decorrer do crescimento, a densidade de 160 ind.cm-2 pode ser utilizada até que as larvas alcancem 600μm de comprimento, larvas maiores que 600 μm devem ser cultivadas na densidade de 40 ind.cm-2 para manter a taxa de crescimento máximo diária.
Abstract: The present study describes the larval rearing of bivalve mollusc Anomalocardia brasiliana, with evaluation of different diets and stocking density. The diets were evaluated: microalgae Isochrisys galbana (Ig), Phaeodactylum tricornutum (Phaeo), Chaetoceros calcitrans (Cca), Pavlova lutheri (Pl) and combinations (Ig + Cca), (Ig + Phaeo) (Cca + Phaeo) and (Cca + Pl), totaling eight diets provided for a period of 15 days of cultivation. The microalgae I. galbana provided alone had lower survival and growth compared with other diets tested. The use of C. calcitrans and P. tricornutum alone or combined other microalgae showed highest values for survival and growth. The combined diet Cca + Pl, demonstrated the better growth and survival of larval A. brasiliana (261.67 ± 9.64 μm and 31.50 ± 0.87%). All diets evaluated with satisfactory results regarding the growth and survival of larvae of A. brasilaina except I. galbana diet when given alone. The stocking densities evaluated in post-larvae Anomalocardia brasiliana was 40, 80 and 160 ind.cm-2 in a trial period of 28 days. The density of 40 ind.cm-2 had the highest rate of daily specific growth. The highest survival of post-larvae were observed at lower densities 53.24 ± 4.60% (40 ind.cm-2) and 52.95 ± 3.32% (80 ind.cm-2), differing from greater stocking density with 31.54 ± 0.70%. So we concluded that we can produce larvae of A. brasiliana evaluated using any of the diets, except I. galbana was provided separately. In cultivation post-larvae of the same species must perform storage management in density during growth, density 160 ind.cm-2 can be used to achieve the larvae 600 μm in length, greater than 600 μm larvae must be grown at a density of 40 ind.cm-2 to keep the rate of maximum growth rate.
Palavras-chave: Anomalocardia brasiliana
Marisco
Larvicultura
Área(s) do CNPq: CIENCIAS AGRARIAS::RECURSOS PESQUEIROS E ENGENHARIA DE PESCA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal Rural de Pernambuco
Sigla da instituição: UFRPE
Departamento: Departamento de Pesca e Aquicultura
Programa: Programa de Pós-Graduação em Recursos Pesqueiros e Aquicultura
Citação: OLIVEIRA, Isabela Bacalhau de. Crescimento e sobrevivência larval do marisco Anomalocardia brasiliana (Gmelin, 1791) alimentado com diferentes dietas algais. 2014. 95 f. Tese (Programa de Pós-Graduação em Recursos Pesqueiros e Aquicultura) - Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.tede2.ufrpe.br:8080/tede2/handle/tede2/6182
Data de defesa: 25-Aug-2014
Appears in Collections:Doutorado em Recursos Pesqueiros e Aquicultura

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Isabela Bacalhau de Oliveira.pdfDocumento principal922,26 kBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.